Blog Silam

Micropigmentação, inovação e conhecimento.

Um dos segredos para se obter sucesso como micropigmentador é saber analisar a tonalidade de pele do cliente para fazer escolhas que garantam os melhores resultados possíveis. E essa análise se torna ainda mais importante quando se trata da micropigmentação em peles negras.

Foi crença comum durante algum tempo que a pele negra não poderia receber a micropigmentação, ou que os pigmentos ficavam sempre acinzentados. No entanto, o número cada vez maior de famosas negras que estão aderindo à técnica mostra que isso não passa de um mito.

As atrizes Cris Viana e Taís Araújo, a cantora Iza e a ex primeira dama Michelle Obama são apenas alguns exemplos. Entretanto, o procedimento de micropigmentação em peles negras exige alguns cuidados especiais.

micropigmentação em peles negras

 

1. Espectros de tons de pele

De acordo com o censo realizado em 2007, a escala de cores de pele tem 144 tonalidades diferentes somente no Brasil.

A pele negra tem como característica a maior resistência ao sol e também aos efeitos do envelhecimento quando comparada com a pele mais clara. Isso ocorre porque a pele negra possui maior concentração de melanina, pigmento que age como uma espécie de proteção de nossa pele e que nos gera os mais variados espectros de tons de pele.

A alta presença de melanina faz com que a pele negra seja mais grossa, especificamente o estrato córneo presente na epiderme, por isso, se torne mais resistente ao surgimento das famosas marcas de expressão e a percepção de maior dificuldade de micropigmentar.

Todas essas características devem ser levadas em consideração ao escolher o tipo e a cor de pigmento para a micropigmentação em peles negras. Vamos falar com mais detalhes sobre os diferentes tipos de pele negra.

 

Pele negra dourada (ou pardo escura)  

Esse tipo de pele tem mais facilidade em bronzear, sendo a mais comum entre latino-americanos. Pessoas que tem esse tipo de pele geralmente possuem olhos castanhos escuros com fundo amarelo-dourado. A raiz do cabelo é escura e o cabelo é geralmente liso-ondulado.

Isso ocorre porque a pele negra dourada é fruto da miscigenação de negros, índios nativos e europeus.

Negra de fundo amarelado

Esse tipo de pele negra costuma ter baixa sensibilidade ao sol. Raramente fica bronzeada. É de origem equatorial-africana e geralmente é acompanhada de cabelos ondulados e olhos castanho escuro com fundo amarelo-café.

 

Negra de fundo acinzentado

Esse tipo de pele negra nunca se bronzeia, sendo completamente insensível ao sol. São as pessoas com pele negra muito escura.

Seus olhos geralmente são escuros e a raiz do cabelo é escuro em tom azulado. Os cabelos são muito ondulados,  e sua origem é africana-ocidental.

 

 

2. Escolha dos pigmentos para micropigmentação em peles negras

Saber os tipos de pele negra é importante para saber analisar qual será o melhor pigmento a ser utilizado. A hiperpigmentação desse tipo de pele exige que os pigmentos sejam escolhidos com cautela, de modo a não assumirem tons indesejáveis após a cicatrização.

Por isso, o micropigmentador deve possuir conhecimentos tanto em colorimetria quanto em pigmentologia. Aconselha-se também estudar a melanina e suas propriedades de modo a fazer uma análise eficiente.

 

Guia prático de Pigmentos 1.0

O Guia Prático de Pigmentos 1.0 da SILAM contém todas as informações necessárias acerca da pigmentologia e o funcionamento dos pigmentos, sendo um excelente material para quem deseja resultados satisfatórios.

guia práticos de pigmentos 1.0

Nesse guia você terá o melhor infográfico disponível para facilitar a sua vida enquanto micropigmentador, e melhorar a análise e escolha das cores de pigmentos.

Em quatro simples passos você saberá qual cor de pigmento deve utilizar para obter o melhor resultado para seus clientes.

 

3. Procedimento e cicatrização

Embora certos cuidados devam ser tomados na hora de escolher a tonalidade ideal do pigmento, o procedimento de micropigmentação em peles negras segue os mesmos passos que nas demais peles.

O profissional deve realizar o design desejado para as sobrancelhas de acordo com o resultado esperado pelo cliente, aplicar o anestésico e escolher a agulha ideal.

Os cuidados pós-procedimento incluem também alertar sobre o uso de cremes clareadores, que podem desbotar as sobrancelhas.

A diferença está na hora de escolher o pigmento, de modo a garantir que a cor pós-cicatrização será exatamente aquela que o cliente deseja.

Não se esqueça que a cicatrização da micropigmentação é uma etapa importante na micropigmentação e deve-se estar sempre atento a fim de obter os melhores resultados. Aconselho acessar nosso material para saber tudo que você precisa sobre o assunto.

cicatrização da micropigmentação

Agora que você já sabe quais os principais cuidados que devem ser tomados na micropigmentação em peles negras, mantenha-se conectado conosco. Acesse nosso Facebook e Instagram para manter-se sempre atualizado sobre as novas técnicas e novidades da micropigmentação.

 

Bons estudos,

André dos Santos.

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre o autor

André dos Santos

Fundador do SILAM (Simpósio de Integração Latino Americano de Micropigmentação)